Refinanciar o imóvel pode ser uma solução para dívidas ou realização de sonhos

Em algumas etapas de nossa vida, podemos precisar de um recurso financeiro para saldar dívidas ou concretizar algum sonho. O financiamento com garantia de imóvel é uma modalidade de crédito em que você oferece um imóvel como garantia. E porque ele é mais interessante?

Neste tipo de financiamento, as taxas de juros são diferenciadas e conta com prazo longo para pagamento das prestações. Neste tipo de financiamento você pdoe usar o recurso como quiser, realizar um sonho, realizar uma reforma, investir em um projeto, etc. A isto chamamos Crédito Livre. Confira os detalhes:

Taxas a partir de 1,16% a.m. + IGPM;

Prestações que cabem no seu orçamento, com prazos de 05 a 30 anos e até 30% da renda bruta;

Sistema de amortização SAC ou Price;

Valor do financiamento: de R$ 25 mil até R$ 750 mil, limitado a 50% do valor de avaliação do imóvel;

E por falar em compra de imóveis, veja aqui mesmo no blog nossas dicas para o momento de escolher um imóvel e para o financiamento.

Detalhes importantes do financiamento imobiliário

Já demos anteriormente aqui no blog algumas dicas para o momento em que você estiver escolhendo um imóvel. Se você pretende fazer um financiamento para fechar comprar um imóvel, veja nossas recomendações:

• Não assuma qualquer compromisso de pagamento antes da aprovação final do seu financiamento, da avaliação do imóvel e da análise completa de toda a documentação do imóvel e dos vendedores;

• Se você decidiu negociar a compra do seu imóvel via contrato de “Compromisso de Compra e Venda”, não se esqueça de colocar no Instrumento:

1) Uma cláusula que garanta a devolução do sinal e dos demais pagamentos no caso de não aprovação da documentação do imóvel e vendedor;

2) Indique de forma clara que o cumprimento das obrigações assumidas pelo comprador se baseia na aprovação do financiamento imobiliário;

3) A obrigação do vendedor se limita a entregar os documentos pessoais e do imóvel. Vale lembrar que estes documentos são indispensáveis para se obter qualquer tipo de financiamento;

4) A condição de que o valor do financiamento somente será pago (uma vez cumpridas todas as condições e exigências solicitadas pelo Citi) em até cinco dias úteis após a entrega, ao Citi do contrato de financiamento devidamente registrado no Cartório de Registro de Imóveis competente;

5) A condição de que o valor do FGTS somente será pago (uma vez cumpridas todas as condições e exigências solicitadas pelo Citi e pelo agente operador do FGTS) em até cinco dias úteis após a entrega, ao Citi, do contrato devidamente registrado no Cartório de Registro de Imóveis competente e desde que o órgão Competente – agente operador do FGTS – já tenha transferido o respectivo valor ao Citi.

6) A existência de punição no caso da não-concessão do financiamento, por problemas que advenham da documentação do vendedor ou do imóvel;

7) Que o imóvel negociado, objeto do financiamento, não se encontra hipotecado ou alienado e que está livre dequaisquer outros ônus. Havendo qualquer pendência, será necessário que o ônus seja cancelado antes de você propor o financiamento;

8) Que o imóvel está em dia com os pagamentos de impostos, água, esgoto, energia elétrica, taxas de condomínio (se for o caso) e laudêmio (no caso de imóvel foreiro), dentre outros;

9) No caso de condomínio, se está constituído e registrado no Cartório de Registro de Imóveis competente.

Quer saber mais sobre financiamento? O Citi tem várias linhas de crédito relacionadas ao mercado imobiliário. Acesse para conhecer o crédito imobiliário Citi e faça uma simulação.

Vai a última dica: O Citi negocia taxas baseado no relacionamento do cliente ou nas condições de cada financiamento (valor financiado e prazo, por exemplo). Solicite uma taxa diferenciada ao gerente de relacionamento Citi ou envie uma solicitação para ser contatado.

Financiamento é mais interessante que consórcio?

*Por Eduardo Forestieri

Como já falamos anteriormente em nossa coluna, carro próprio é o sonho de boa parte da população brasileira. E quase 100% das pessoas quer ter sua própria casa e deixar de pagar aluguel. Hoje vamos discutir um pouco sobre duas formas de aquisição destes dois bens: o consórcio e o financiamento.

No primeiro caso, um grupo de pessoas com interesse comum se une para adquirir um bem. Todos receberão eventualmente o que estão comprando, mas a ordem de recebimento é feita ou por sorteio, ou por lances (com uma quantia maior de dinheiro, quase quitando a dívida). Cada associado paga uma parcela mensal, formada pelo valor total do carro ou imóvel dividido pelo número de meses do consórcio, mais uma taxa de administração do grupo. Visualmente, fica assim:

Parcela = valor total do bem/número de meses do consórcio + taxa de administração

Já no financiamento, a pessoa empresta de uma instituição (pode ser um banco, a construtura, a montadora, etc.) o valor total do carro ou do imóvel, compra, recebe na hora seu bem, e passa a ter uma dívida com esta instituição, geralmente acrescido de juros mensais.

O que é melhor? Depende do seu planejamento. No caso do consórcio, em geral, o valor total a ser pago é menor que no financiamento, pois a taxa de administração é mais baixa que a soma dos juros. O consórcio acaba funcionando como uma poupança que você faz para comprar alguma coisa.

Porém, você poderá esperar mais para receber seu bem e as parcelas são variáveis, por depender da adimplência de todos os participantes. No financiamento, os juros totais podem ser mais altos, mas você tem o bem imediatamente e as parcelas são fixas.

Não consigo pagar. E agora?

Independentemente da sua escolha, é preciso planejar e ter em mente que você assumirá uma dívida de longo prazo. Avalie suas condições de sustentar os pagamentos, caso haja algum imprevisto em seu orçamento.

Se, entretanto, você não conseguir mais pagar as prestações ou, por algum motivo, desejar desistir do negócio, a primeira atitude é contatar os administradores ou instituições e fechar algum acordo, com recálculo ou redução de parcelas.

Especificamente no caso do consórcio, é possível ir ao mercado e vender sua cota (desde que a administradora autorize o negócio). Tome esta decisão rapidamente. É melhor ter um prejuízo leve na venda da cota do que “carregar” uma dívida que não poderá saldar.

Outra possibilidade, caso você queira o bem, mas está impossibilitado momentaneamente de quitar as prestações é deixar de pagar e retomar a dívida em alguns meses. Neste caso, lembre-se que você perde o direito do sorteio ou da possibilidade de dar um lance, enquanto estiver irregular. Não se esqueça também de verificar no contato do consórcio quantas parcelas poderá deixar de pagar antes de ser excluído do grupo. Se for preciso, tente negociar um aumento neste número.

Ficou alguma dúvida? Escreva aqui. Vamos ajudá-lo a planejar para alcançar seus sonhos.

 

Eduardo Forestieri, CFP®, Superintendente de Produtos de Investimentos do Citi Wealth Management

Os especialistas do Citi estão à disposição para responder as perguntas de nossos leitores. É só deixar sua dúvida nos comentários do blog. Todos os especialistas do Citi que responderem as perguntas desta seção são certificados com o CFP – Certified Financial Planner, concedido pelo IBCPF – Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros

Encontrou o imóvel dos sonhos? Então veja nossas dicas

Depois de muita procura, dúvidas, negociações, finalmente você encontra o imóvel que queria. Parabéns! A próxima fase é iniciar todos os trâmites que o levarão às chaves. Como esta parte é menos interessante que a etapa anterior (de buscar o imóvel), alguns detalhes pode passar despercebidos. Fique atento às nossas dicas:

• Solicite ao vendedor a matrícula atualizada e o IPTU do imóvel. Veja na matrícula se o imóvel está registrado em nome do vendedor;

• Compare as informações de endereço e de áreas de terreno e construção que constam na matrícula, no IPTU e no próprio imóvel. Informações divergentes podem impedir a contratação do financiamento;

• Verifique se o local em que o imóvel está situado corre algum tipo de risco, como histórico de enchentes, desapropriações ou outros problemas que possam desvalorizá-lo no futuro. Para mais informações, consulte a prefeitura do município do imóvel;

• É importante visitar o imóvel desejado em diferentes horários e dias. Esta é a melhor maneira de conhecer o bairro e as redondezas. Verifique também os trajetos de ônibus, feiras livres, acessos obstruídos, poluição sonora, segurança e vida noturna.

O Citi tem várias linhas de crédito para o momento de concretizar mais este sonho. Acesse para conhecer o crédito imobiliário Citi e faça uma simulação. Vai uma dica: O Citi negocia taxas baseado no relacionamento do cliente ou nas condições de cada financiamento (valor financiado e prazo, por exemplo). Solicite uma taxa diferenciada ao gerente de relacionamento Citi ou envie uma solicitação para ser contatado.

Mude de endereço com o Crédito Imobiliário Citibank

É hora de mudar. Se você planeja parar de pagar aluguel, mudar para uma casa maior ou diversificar seus investimentos, aproveite as condições especiais do Crédito Imobiliário Citibank. O Banco está com uma taxa promocional: 8,90% ao ano mais taxa referencial (TR)¹ para financiamento de imóveis no Sistema Financeiro da Habitação.
Além dessa vantagem, correntista Citibank tem agilidade na aprovação do financiamento com pré-análise de crédito no mesmo dia² e prazo de documentação em até 10 dias³. E mais: toda a assessoria personalizada durante o processo com esclarecimento de dúvidas sobre o uso do FGTS e informações para a concretização de um excelente negócio.
Para saber mais sobre as condições desta oferta, fale com o gerente de relacionamento em uma agência Citibank.

¹Condição válida para financiamento no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) – imóveis de até R$ 500 mil. Taxa de 8,9% a.a + TR para financiamentos acima de R$ 250 mil e prazo mínimo de 240 meses. O cliente deve ser correntista há mais de 1 (um) ano e possuir investimentos de R$ 50 mil ou mais. Crédito sujeito a aprovação cadastral e demais condições do produto. Oferta válida para cartas de crédito emitidas até 31 de julho de 2012, com validade de 90 dias após a emissão. ²Desde que os dados sejam fornecidos até as 16 horas. Após esse horário, a pré-análise será fornecida no próximo dia útil. ³Prazo depende da entrega da documentação completa do comprador, do vendedor e do imóvel. Esse prazo não contempla prazo de registro em cartório, de responsabilidade do cliente.

Citibank reduz taxas de juros para pessoa física

Medida passa a valer a partir de 2 de maio, com destaque para o Crédito Imobiliário, que terá taxa de 8,90% ao ano + TR

A partir do dia 2 de maio, o Citibank reduz as taxas para seus clientes Pessoa Física nas linhas de Crédito Imobiliário, Crédito Pessoal, Cheque Especial e Financiamento de Veículos. Uma das reduções mais relevantes acontece na linha de Crédito Imobiliário, onde o banco passa a trabalhar com taxa de 8,90% ao ano + TR.

As mudanças valem para as novas operações de Financiamento de Veículos, Crédito Imobiliário e Crédito Pessoal. No caso do Cheque Especial, as novas taxas serão praticadas para contratos vigentes. As taxas podem variar de acordo com o relacionamento do cliente com o banco ou com as condições de prazo e valor do contrato.

“Em linha com o novo cenário da economia brasileira, de juros mais baixos e estímulo ao crédito, vamos reduzir nossas taxas, buscando contribuir para o crescimento econômico do país”, afirma Leonel Andrade, responsável pela área de Consumer Business do Citi Brasil, que engloba o Citibank e a Credicard.

As condições estabelecidas para cada linha de crédito estão detalhadas a seguir:

Crédito Imobiliário – taxa de 8,90% ao ano + TR (Taxa Referencial) para financiamentos contratados nas condições do Sistema Financeiro de Habitação (SFH);

Crédito Pessoal – taxas a partir de 1,69% ao mês;

Cheque Especial – taxas a partir de 1,99% ao mês;

Financiamento de Veículos – taxas a partir de 0,99% ao mês.

Fale com seu gerente de relacionamento.

De endereço novo em 2012

Entre março de 2011 e fevereiro deste ano, o financiamento imobiliário cresceu 35%, atingindo R$ 80,9 bilhões, segundo balanço divulgado recentemente pela pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Nesse período de 12 meses, foram financiados 89,2 mil imóveis, 11% a mais do que no período de 12 meses imediatamente anterior. É hora de mudar e realizar o seu sonho! Se você deseja parar de pagar aluguel, mudar para uma casa maior, comprar sua casa de veraneio ou um segundo imóvel, aproveite e tenha um novo endereço em 2012.

Esta notícia é antiga, mas vale à pena lembrar:

Os bancos poderão financiar até 90% do valor do imóvel nas linhas do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). A medida foi aprovada hoje pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que também aumentou de R$ 350 mil para R$ 500 mil, o teto de preço do imóvel que poderá ser financiado com recursos da caderneta de poupança. (Valor Econômico / 2009)

O momento é propício para as mudanças. Afinal com um cenário econômico favorável, expansão do crédito imobiliário e alongamento dos prazos de financiamento, o sonho da casa própria ou um novo investimento fica mais próximo de ser realizado.

Conosco você conta uma linha completa de financiamentos relacionados ao mercado imobiliário, incluindo a linha pelo Sistema Financeiro da Habitação, que utiliza como base os recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e da poupança e com taxa promocional de 9,8%a.a.+TR(1)

Dentre os benefícios de nosso financiamento imobiliário ainda destacam-se taxas diferenciadas e competitivas, pré-análise de crédito no mesmo dia (2) e prazo de análise ds documentação em dez dias úteis(3). E mais: durante todo o processo tem à disposição uma assessoria personalizada.

Para saber as condições desta oferta, fale com o gerente de relacionamento em uma agência Citibank.

Disclaimer
(1)Condição válida para financiamentos no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) – Imóveis de até R$ 500 mil e financiamentos acima de R$ 200 mil. Sujeito a análise de crédito. Oferta válida para cartas de crédito emitidas até 31 de Julho de 2012, com validade de 90 dias após a emissão.
(2) Desde que os dados sejam fornecidos até as 16 horas. Após este horário, a pré-análise será fornecida no próximo dia útil.
(3)Não contempla o prazo de registro em cartório, de responsabilidade do cliente.

Taxa promocional de 9,8%a.a.+TR*para financiamento de imóveis no SFH. Para saber as condições desta oferta, fale com o gerente de relacionamento em uma agência Citibank.
Acesse citibank.com.br para conhecer mais sobre as linhas de financiamento voltados ao mercado imobiliário.
*Condição válida para financiamento de Imóveis de até R$ 500 mil (SFH), sujeito a análise de crédito. Oferta válida para cartas de crédito emitidas até 31 de maio de 2012, com validade de 90 dias após a emissão. Consulte outras condições em uma agência Citibank.

Crédito: um dia você vai conviver com ele

Há uma frase famosa nos Estados Unidos, dita por Benjamin Franklin, que diz: nothing is certain, but death and taxes (nada é certeza, a não ser a morte e os impostos – numa tradução livre). Se ele vivesse em nossos dias, provavelmente acrescentaria a palavra “crédito” em sua afirmação.

Isso porque na economia mundial atual é praticamente impossível que uma pessoa com uma vida financeira bancária ativa (ou seja, que possua conta em bancos) não vá usar um dos produtos de crédito. Seja o cartão de crédito, o cheque especial, créditos imobiliários ou para compra de automóvel, entre outros diversos.

Nos vídeos abaixo, nosso vice-presidente de Risco, Victor Loyola, comenta o crescimento do crédito nos últimos anos e sua importância para fazer girar a economia brasileira. Ele também fala sobre como usar bem o crédito (com dicas valiosas para fazer desta ferramenta sua aliada financeira). No último ele comenta a validade na nova lei do Cadastro Positivo.

A lei do Cadastro Positivo – será que é válida para o consumidor? Loyola acredita que sim. O benefício de ter a informação de adimplência divulgada vale à pena.

Citi Tendências: Financiar imóvel sem riscos requer análise e cuidado

Por Rubens Pellini Filho

Foco e planejamento são fundamentais na tomada da decisão para a compra de um imóvel. Ter uma casa própria tornou-se um objetivo de cada brasileiro, mas é necessário ser realista para evitar que o que era sonho vire pesadelo. Um imóvel com valor muito alto, o comprometimento excessivo da renda e até mesmo a forma de financiamento escolhida podem fazer a diferença.

Se você deseja adquirir um imóvel em curto prazo e não tem recursos para fazer o pagamento a vista, o financiamento bancário é o caminho. O SFH (Sistema Financeiro da Habitação) e o SFI (Sistema de Financiamento Imobiliário) são as opções disponíveis. Cada um pode ser mais ou menos vantajoso, conforme o seu perfil financeiro e até mesmo profissional.

O SFH, no caso de você ser empregado, tem a grande vantagem de permitir o uso dos recursos do Fundo de Garantia (FGTS). Neste caso, abater a dívida é mais atraente que manter o dinheiro literalmente parado. Boa parte dos analistas financeiros comenta que é mais vantajoso usar o FGTS para comprar um imóvel do que deixar o dinheiro na conta do fundo, devido o rendimento ser inferior a das opções de investimento existentes no mercado. A desvantagem do SFH é que limita o valor máximo do imóvel a ser adquirido a R$ 500 mil, mas o limite a ser financiado é 80% do valor total..

Agora, se você ambiciona comprar um imóvel de maior valor, o SFI é o caminho. Este sistema atende a faixa do mercado interessada em imóveis acima de R$ 500 mil. Mas o teto para financiamento continua sendo de 80% do valor total do imóvel. O sistema não permite o uso do FGTS. Isso não chega a ser um obstáculo para quem tem condições financeiras para comprar um imóvel de alto padrão, mas impede que o comprador use um recurso que está a sua disposição.

Independente do sistema de financiamento escolhido, cautela é sempre necessária. A inadimplência é o maior fator de risco para comprador, seja causada por um motivo imprevisto ou por não conseguir arcar com as prestações de uma propriedade que está fora de se real alcance. É necessário levar em conta que o custo mensal de um imóvel não se limita as prestações, e inclui despesas como água, eletricidade, gás e impostos. Estes fatores também devem ser levados em conta no momento da decisão.

O aconselhável é que você tome alguns cuidados básicos, como não comprometer mais que 30% de sua renda mensal com as parcelas e também ter um fundo de reserva, só por precaução. O risco maior da inadimplência é para os optantes do SFI, pois a lei permite que o processo judicial para a retomada do imóvel pelo agente financeiro seja mais ágil do que no SFH.

Rubens Pellini Filho, é jornalista com 19 anos de experiência e Pós-graduado em Gestão da Comunicação Empresarial pela FGV, tendo trabalhado no Jornal O Estado de São Paulo e como editor-executivo da Rede Bom Dia de jornais.

Assessoria personalizada para comprar um imóvel

Se você está planejando adquirir um imóvel, seja por uma oportunidade de investimento, casamento ou nascimento de um filho, pode contar com a nossa ajuda para realizar esse projeto.

Para qualquer uma dessas necessidades você tem à disposição o Crédito Imobiliário Citibank, que financia até 80% do valor do imóvel, incluindo custas cartorárias e ITBI. Possui taxas competitivas e uma central de atendimento exclusiva. O prazo de financiamento pode chegar a 30 anos.

Confira as vantagens em nosso site e faça uma simulação.