Flash – Desemprego sobe ligeiramente em setembro, mas continua bem abaixo da média histórica

O desemprego brasileiro registrou leve alta em setembro para 5,4%, próximo à nossa expectativa e a do consenso, mas ainda permancendo próximo dos menores níveis históricos, dando suporte ao consumo e, consequentemente, à atividade econômica.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quinta-feira, a taxa de desemprego do país atingiu 5,4% no mês passado, ante 5,3% em agosto.

O resultado foi impulsionado pelo forte aumento da força de trabalho em relação ao emprego, portanto, não sugere um enfraquecimento do mercado de trabalho. Os salários reais foram mantidos praticamente estáveis em setembro, mas ainda indicando um aumento significativo em relação ao ano anterior.

No geral, a pesquisa sugere que o mercado de trabalho continua aquecido, com a taxa de desemprego em torno do seu nível mínimo desde o início da série, em 2002.

Para os próximos meses, dada a nossa visão de que o crescimento do PIB deverá se acelerar, não esperamos deterioração das condições do mercado de trabalho.

O crescimento do emprego subiu 0,6% em setembro ante agosto, enquanto a força de trabalho aumentou 1,0% no mesmo período significando expansões de 2,3% e 1,6% em relação ao mesmo mês do ano passado, respectivamente (de 1,5% e 0,7%).

Dada a nossa estimativa de crescimento da produtividade do trabalho, entre 1,5% a 2% ao ano, o aumento dos salários reais continua a sugerir uma pressão ascendente sobre a inflação nos próximos meses.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: