Os veículos para atingir as metas

*Por Eduardo Forestieri

A partir do momento que o seu orçamento está organizado e há uma sobra mensal, mesmo que seja pequena, é hora de escolher o melhor investimento. E aqui volto a lembrar algo que já falei em posts anteriores: o melhor investimento é aquele que atende às suas necessidades, considerando os recursos disponíveis, o objetivo e o prazo de aplicação, além da sua aversão a risco.

Os veículos de investimento podem ser adquiridos em um banco ou corretora. Podem ser individuais – como um CDB – ou comunitários, no caso dos fundos de investimentos. Nos fundos, você paga uma instituição para gerenciar o seu capital coletivamente – essa é uma grande vantagem para quem é leigo no assunto e não consegue aproveitar com pouco recurso todas as possibilidades ofertadas a grandes montantes.

As centenas de fundos disponíveis no mercado são divididas em classes, de acordo com suas características, como mercado em que atua, percentual que pode investir em cada ativo (por exemplo: os fundos de ações devem no mínimo investir 51% em ações, entre outras especificidades), e também em função do risco de cada um, do mais conservador ao mais arrojado. As opções são inúmeras: renda fixa, DI, ações, câmbio, imobiliários, multimercado, entre outros.

Outro ponto importante para obter bons resultados é diversificar, dentro do seu perfil de risco. E isso não se aplica somente a quem dispõe de grandes quantias. Se você estiver poupando para comprar um carro, fazer uma viagem ou adquirir um imóvel, em um prazo maior que um ano, a diversificação já é válida.

Por exemplo: você tem R$ 10 mil e pretende comprar um carro daqui a dois anos. Se estiver de acordo com sua tolerância ao risco, você pode aplicar 60% em CDB e 40% em um fundo de ações, diversificando entre duas classes de ativos. Após os dois anos, o que aplicou no CDB pode estar por volta de R$ 6,5 mil a R$ 7,5 mil, enquanto o investimento em ações pode se transformar em R$ 9 mil, como pode cair para R$ 1 mil.

Agora, se você tem esses R$ 10 mil mas pretende trocar o carro daqui a três meses, esquece! Nesse caso, o melhor é guardar o dinheiro em uma aplicação mais conservadora, como CDB, renda fixa, poupança ou DI, que remunera seu capital com baixíssimo risco de diminui-lo.

Então, resumindo as dicas de hoje: após saber quanto você tem para investir, defina seu objetivo, prazo e tolerância ao risco. Escolha os melhores veículos de investimento, de acordo com esses fatores, e procure diversificá-los, para obter o melhor rendimento possível. Na próxima semana, vamos falar com mais detalhes sobre fundos de investimentos. Até lá!

Eduardo Forestieri, CFP®, Superintendente de Produtos e Distribuição de Investimentos do Citi Wealth Management

Os especialistas do Citi estão à disposição para responder as perguntas de nossos leitores. É só deixar sua dúvida nos comentários do blog. Todos os especialistas do Citi que responderem as perguntas desta seção são certificados com o CFP – Certified Financial Planner, concedido pelo IBCPF – Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: