A importância de fazer um planejamento personalizado

*Por Eduardo Forestieri

Em planejamento financeiro existem vários modelos de estudos de comportamento (chamados behavior finance), mas nenhum deles vale 100% para todo mundo. Às vezes, você é acostumado a gastar muito; em outras, quer economizar tudo o que pode só para ter mais que o vizinho; ou investe em algum fundo que seu amigo disse que é bom. Então, não dá para dizer: invista 10% do seu salário nisso, gaste 30% naquilo.

Como dissemos no post da semana passada, o ideal é ter um equilíbrio de quanto você vive pagando o passado (as dívidas), o presente e o futuro (seus sonhos). Até porque você tem ciclos na sua vida: naqueles em que ganha mais, pode poupar mais; quando está mais apertado, precisa se ajustar.

Um exemplo bom é quando você vai casar. Se planejar tudo direitinho, consegue pagar a festa, a viagem, e eventualmente até dar a entrada no apartamento antes do casamento. Mas geralmente, depois da lua de mel, a vida praticamente começa do zero. E tem de voltar a poupar novamente. Após alguns anos, vem o primeiro filho, e novos ajustes no orçamento. Talvez você esteja acostumado a sair para jantar fora toda semana e tenha de cortar esse gasto para garantir uma boa universidade para o seu filho. Geralmente, essa análise é muito difícil de ser feita. Mas se surgem novas despesas, é claro que temos de cortar outras, não dá para ir acumulando.

Voltando ao planejamento, o ideal é reservar uma parte do seu orçamento para seu futuro. E, aqui, também há outra separação: os sonhos de curto, médio e longo prazos. Pode ser uma viagem, comprar um imóvel, a aposentadoria. No Citi, nós traçamos um perfil detalhado do cliente, fazemos um diagnóstico da sua vida financeira, passando por objetivos de investimentos, tempo que ele tem para investir, aversão a risco, o que ele pretende fazer com o capital. A partir desse diagnóstico, ajudamos o cliente a escolher os melhores produtos para atingir seus objetivos.

Se ele quer comprar uma casa no curto prazo, por exemplo, não pode arriscar o capital, então deve evitar ativos voláteis, como bolsa e dólar. Mas se ele tem 30 anos e quer poupar para a aposentadoria, daqui a mais 30 anos, ele pode correr riscos para ter um retorno melhor. Enfim, como já dissemos anteriormente, não existe fórmula mágica, e cada pessoa é uma pessoa, cada um tem a sua história.

Eduardo Forestieri, CFP®, Superintendente de Produtos e Distribuição de Investimentos do Citi Wealth Management

Os especialistas do Citi estão à disposição para responder as perguntas de nossos leitores. É só deixar sua dúvida nos comentários do blog. Todos os especialistas do Citi que responderem as perguntas desta seção são certificados com o CFP – Certified Financial Planner, concedido pelo IBCPF – Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros

Anúncios

2 Responses to A importância de fazer um planejamento personalizado

  1. maria fernanda says:

    Boa Tarde
    trabalho no comercio, ganho razoavelmente bem mais nao consigo equilibrar minhas finanças sempre no vermelho. como posso fazer, qual seria a soluçao, tenho ainda algumas dividas para serem quitadas, venho procurar soluçoes e respostas sozinha e nao consigo…..socorrrrooooo…..rsrsrsrs.por onde começar. agradeço e aguardo uma resposta

    Maria Fernanda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: